Emedix - Portal de saúde com informações sobre doenças, prevenção, tratamento, saúde no dia a dia, nutrição e qualidade de vida.
Imagens
Diretório de Saúde Dicionário Médico Medicamentos Genéricos Comunidades Virtuais
Saúde no dia-a-dia
linha
  Alimentação Saudável
linha
  Atividade Física
linha
  Saúde da Família
linha
  Vitaminas/Sais Minerais
linha
  Fitoterápicos
linha
Doenças e Prevenção
linha
  Artigos médicos
linha
  Perguntas & Respostas
linha
  Ponto de Vista
linha
Descobertas Científicas
linha
  Notícias da Semana
linha
  Arquivo de Notícias
linha
  Notícias Setor Saúde
linha
  Agenda de Eventos
linha
Variedades
linha
  Cartão virtual
linha
  Teste seu conhecimento
linha
  Pesquisas Online
linha
  Serviços ao Leitor
linha
sobre nós
linha
  Equipe
linha
  Colaboradores
linha
  Campanhas de saúde
linha
  Anuncie Conosco
linha
  Termo de Compromisso
linha
Desenvolvimento: Tecnoweb

Doenças e Prevenção

Vasinhos

Prof. Dr. George Carchedi Luccas

IntroduçãoDescriçãoTratamentoBibliografia

Tratamento

Quais são os tratamentos?
Como é o tratamento com injeções?
Quais os cuidados que se deve ter com o tratamento com injeções?
Como é o tratamento com bisturi elétrico?
Como é o tratamento com luz intensa pulsátil?
Como é o tratamento com laser?
Em que casos o laser é indicado?
O laser permite tratar todos os vasinhos em uma única sessão?
Quais seriam as vantagens deste tipo de tratamento?
Quais seriam as desvantagens do tratamento de vasinhos com laser?
O laser é útil para o tratamento de varizes?
Quais são os cuidados com o organismo?

Quais são os tratamentos?

Os tratamentos podem ser classificados em convencional e não-convencional.

Convencional ou clássico: injetam-se diversas substâncias químicas diretamente nos vasinhos com objetivo esclerosante (endurecer e fechar esses pequenos vasos). As pessoas usam o termo secar os vasinhos e perguntam se o sangue é retirado de dentro dos vasos. Na realidade, as substâncias químicas injetadas inflamam a camada interna dos vasinhos, o que determina o seu fechamento, impedindo a passagem do sangue, e assim deixam de ser visíveis.

Não-convencional: ligado especialmente a princípios físicos que levam à destruição dos vasinhos pelo calor. Nesse grupo, incluem-se o bisturi elétrico, a luz branca intensa pulsátil e o laser. São utilizados também aparelhos que geram ondas de alta freqüência e seringas especiais que permitem injeção a baixa temperatura (30 º graus negativos) caracterizando a crioescleroterapia.

[sobe]

Como é o tratamento com injeções?

Este tratamento já vem sendo realizado há um século. Diversas substâncias são injetadas, a principal é a glicose hipertônica (concentrações variáveis entre 50 a 75%). Podem ser utilizadas, associadas ou não, outras substâncias como o oleato de monoetanolamina, morruato de sódio, polidocanol, sulfato de tetradecil sódico, glicerina cromada, solução salina hipertônica etc. É feito ao longo de várias sessões e, em cada uma delas, aplica-se um número variável de injeções de acordo com a extensão do quadro, a sensibilidade da paciente e os critérios do médico. No local da injeção podem ser colocadas bolinhas de algodão fixadas por esparadrapo, sendo que alguns médicos enfaixam a região. Em geral, é um tratamento prolongado e, dependendo de cada caso, são necessárias 5, 10, 20 ou mais sessões, com intervalos variáveis entre elas. Não se deve procurar resultados imediatos. É um tratamento que traz bons resultados desde que haja paciência e persistência.

[sobe]

Quais os cuidados que se deve ter com o tratamento com injeções?

Existem cuidados técnicos importantes na aplicação, esterilização e manuseio do material utilizado. A falta de experiência e a pressa em obter resultados no tratamento com injeções podem levar a complicações como a formação de feridas nos locais das aplicações, a ocorrência de flebites (inflamação da membrana interna das veias) e pigmentações nos trajetos de pequenas veias e vasinhos mais calibrosos. Anteriormente, julgava-se que as feridas eram conseqüentes da aplicação das injeções fora do vaso, porém já foi demonstrado que são devidas a aplicação da injeção dentro do vaso com maior pressão e volume, que faz com que a arteríola nutridora da pele da região seja indevidamente esclerosada. Felizmente existe uma grande experiência com esse tratamento entre os angiologistas e cirurgiões vasculares brasileiros, fazendo com que as complicações sejam cada vez mais raras em nosso meio. É importante ressaltar que o tratamento seja realizado apenas por profissionais habilitados.

[sobe]

Como é o tratamento com bisturi elétrico?

O equipamento é conectado a uma agulha muito fina que atravessa a pele. Dispara-se um pequeno choque elétrico no vasinho, que é destruído pelo calor. Aparelhos modernos permitem regulagens e diversos ajustes da energia a ser liberada. A desvantagem do método é que o calor produzido não é seletivo aos vasinhos e também atinge as estruturas vizinhas, provocando pequenas crostas temporárias na pele. Além disso, devido à dor, é necessária a utilização de anestesia tópica ou injetável. O bisturi elétrico pode ser utilizado isoladamente no tratamento de vasinhos da face ou associado às injeções para o tratamento de vasinhos dos membros inferiores. Recentemente, descreveu-se o método de telecauterização, que usa uma agulha protegida por plástico, evitando queimar a pele. Os vasinhos são cauterizados à distância, por baixo da pele, evitando a formação de crostas e também destrói as vênulas alimentadoras dos vasos mais superficiais.

[sobe]

Como é o tratamento com luz intensa pulsátil?

Foi desenvolvido um aparelho que produz luz branca (policromática) intensa tipo flash, com filtros para passagem de determinados tipos de comprimentos de onda. Parte dessa luz tem predileção pela coloração dos vasinhos e produz a chamada fototermólise. Nesse caso, a luz interage com o pigmento do sangue (hemoglobina) e aquece o vaso para provocar a sua destruição. A energia liberada, transmitida através de um cristal em forma de paralelepípedo, também pode também interagir com o pigmento da pele e causar queimaduras de grau variável, correspondente à área do cristal transmissor (3,5 cm x 0,8 cm). A intensidade da energia liberada pelo equipamento é controlado por um computador, que deve ser manipulado por um médico devidamente treinado. Esse aparelho tem sido de grande utilidade no tratamento de manchas de nascença chamadas de hemangiomas planos.

[sobe]

Como é o tratamento com laser?

O laser, abreviatura de "Light Amplification of Stimulated Emission Radiation", ou seja: ampliação da luz de radiação emitida por estímulo, vem sendo utilizado há vários anos na medicina, principalmente na área de oftalmologia, otorrinolaringologia, cirurgia plástica e dermatologia. Mais recentemente se iniciou o interesse da aplicação do laser no tratamento dos vasinhos. Existem diversos tipos de equipamentos a laser com características que variam em relação ao comprimento de onda de luz emitido, dimensão da área de luz emitida (spot ou alvo), intensidade da energia emitida, tempo de emissão, pulsatibilidade, repetição dos pulsos etc. O laser utiliza também o princípio da fototermólise, com aquecimento do vaso a partir da interação com o pigmento vermelho do sangue. Como efeito secundário pode atingir a melanina (pigmento da pele) causando complicações como a formação de hipocromias (manchas brancas). Alguns aparelhos objetivam a destruição do vaso, podendo o sangue se espalhar e causar manchas hipercrômicas (manchas escuras). Outros equipamentos provocam apenas espasmo e fechamento do vasinho, mas podem causar pequenas crostas superficiais na pele.

[sobe]

Em que casos o laser é indicado?

Ao contrário das injeções, que podem ser aplicadas em qualquer pessoa, o laser necessita de teste prévio para verificar se as características da pele são favoráveis ao tratamento. De maneira geral, é mais adequado para as pessoas de pele clara do que para as pessoas de pele morena. Importante lembrar que a mesma pessoa terá respostas diferentes se estiver bronzeada ou não no momento da aplicação. No Brasil, o laser deve ser utilizado com critério e, na maioria dos casos, associado ao tratamento com injeções.

[sobe]

O laser permite tratar todos os vasinhos em uma única sessão?

Não é a forma adequada de tratamento no Brasil. Aplicar em todos os vasinhos de uma só vez causaria agressão à pele muito extensa, podendo causar manchas claras ou escuras. Excepcionalmente um habitante de região de clima frio (norte dos Estados Unidos, Canadá, Suécia, Finlândia) com tonalidade de pele muito clara, que não tenha tomado sol nos últimos três meses antes da aplicação e que não venha a tomar no mês seguinte, possa se beneficiar com este tipo de aplicação.

[sobe]

Quais seriam as vantagens deste tipo de tratamento?

  1. Não utilizar seringas e agulhas;
  2. Algumas regiões do corpo são particularmente difíceis de tratar com injeções devido à dor, riscos e dificuldade de aplicação, como a face e regiões dos pés e tornozelos. O laser tem se mostrado particularmente útil nesses casos;
  3. Associar as vantagens dos dois tipos de tratamento: as injeções e o laser. A grande experiência já existente com o uso das injeções somado a aplicações de laser em alguns pontos da rede de vasinhos, pode reduzir de forma significativa o tempo de tratamento;
  4. Existe expectativa baseada em algumas observações que o resultado do tratamento com aplicação de laser possa ser mais duradouro;
  5. Atualmente, o laser utilizado emite um feixe de onda específico para atingir o pigmento do sangue e o "spot" (alvo) é muito pequeno, e praticamente não agride os tecidos vizinhos. Conseqüentemente, a formação de manchas em pessoas sensíveis e de pele morena seria muito pequena e em geral temporária.

[sobe]

Quais seriam as desvantagens do tratamento de vasinhos com laser?

Algumas desvantagens do tratamento de vasinhos com laser são a pouca experiência com esse tipo de tratamento, a resposta variável conforme o tipo de pele e o risco de provocar manchas cutâneas claras ou escuras.

[sobe]

O laser é útil para o tratamento de varizes?

Não, o tratamento das veias calibrosas e tortuosas é feito por meio da cirurgia. Houve grande evolução na técnica cirúrgica que permite a retirada de todas as varizes, de uma única vez, com cortes milimétricos, que em geral não necessitam pontos, promovendo resultados estético e funcional gratificantes. Nos pacientes que apresentam varizes e vasinhos concomitantes é recomendado realizar inicialmente a cirurgia de varizes. Reforça-se essa indicação se houver íntima conexão entre as estruturas, pois nesses casos a ressecção prévia das varizes facilita o tratamento esclerosante posterior. Quanto às pequenas veias aparentes, o uso recente de um tipo de LASER, de alto comprimento de onda, tem mostrado a possibilidade do emprego da técnica de fototermólise.

[sobe]

Quais são os cuidados com o organismo?

Não é necessário nenhum cuidado especial em relação à presença de vasinhos. Os exercícios habituais são benéficos à circulação e apenas devem ser evitados logo após a sessão de tratamento esclerosante. Quanto ao sol, não existe qualquer tipo de restrição no tratamento convencional com injeções, porém quando se usa o princípio da fototermólise, com luz branca intensa pulsátil ou com o LASER, o sol deve ser evitado.

[topo]

[Introdução][Descrição] [Tratamento] [Bibliografia]


Enviar a um amigo



[voltar] [topo]

Atenção: As informações contidas neste site têm caráter informativo e não devem ser utilizadas para realizar auto-diagnóstico, auto-tratamento ou auto-medicação. Em caso de dúvidas, consulte o seu médico.

Proibida a reprodução, distribuição ou publicação, parcial ou total, do conteúdo deste site estando o infrator sujeito às sanções legais cabíveis.


Outros artigos
bullet Alzheimer
bullet Aneurismas arteriais periféricos
bullet Aneurisma da Aorta
bullet Anorexia Nervosa
bullet Ansiedade
bullet Artrite Crônica Juvenil
bullet Artrite Reumatóide Juvenil
bullet Aterosclerose
bullet Autismo
bullet Bulimia Nervosa
bullet Catapora
bullet Colesterol Alto
bullet Depressão Infantil
bullet Distúrbios de Ansiedade
bullet Doenças da Coluna
bullet Doença de Parkinson
bullet Doença de Chagas Congenita
bullet Doenças Varicosas
bullet Embolia Arterial Aguda
bullet Epilepsia
bullet Esclerodermia
bullet Esclerose Sistêmica
bullet Espondilite Anquilosante
bullet Fadiga
bullet Fadiga Crônica
bullet Febre Amarela
bullet Febre Reumática
bullet Hepatite A - Vacina
bullet Hiperidrose
bullet Hipertensão Arterial
bullet HTLV-I
bullet Influenza A (H1N1)
bullet Meningite Neonatal
bullet Obesidade
bullet Pé Diabético
bullet Pressão Alta
bullet SAF
bullet Sedentarismo
bullet Síndrome do Anticorpo Antifosfolipídeo
bullet Síndrome de Hughes
bullet Síndrome de Reiter
bullet Telangiectasias
bullet Transpiração Excessiva
bullet Tromboembolismo Venoso
bullet Trombose Venosa Profunda
bullet Úlceras de Perna
bullet Vacinações
bullet Varicela
bullet Varizes
bullet Vasinhos
bullet Veias Varicosas
Home Saúde no dia-a-dia: Doenças e Prevenção: Pesquisas Científicas: Variedades: Sobre nós:
Contato Alimentação Saudável Artigos Médicos Notícias da Semana Cartão virtual Anuncie Conosco
Newsletter Atividade Física Perguntas e Respostas Arquivo de Notícias Pesquisas Online Equipe
Diretório de Saúde Saúde da Família Ponto de Vista Notícias - Setor de Saúde Testes e Curiosidades Colaboradores
Medicamentos Genéricos Vitaminas e Sais Minerais Comunidades Virtuais Agenda Serviços ao Leitor Termo de Compromisso
Dicionário Médico Fitoterápicos
Mapa do site
Desenvolvimento:Tecnoweb - Tel: (0xx21)2523-9108
Todos os direitos Reservados. 2000 - 2014 ®
Pesquisar
Inicio Newsletter Contato
Ecard Recomendar Twitter