Emedix - Portal de saúde com informações sobre doenças, prevenção, tratamento, saúde no dia a dia, nutrição e qualidade de vida.
Imagens
Diretório de Saúde Dicionário Médico Medicamentos Genéricos Comunidades Virtuais
Saúde no dia-a-dia
linha
  Alimentação Saudável
linha
  Atividade Física
linha
  Saúde da Família
linha
  Vitaminas/Sais Minerais
linha
  Fitoterápicos
linha
Doenças e Prevenção
linha
  Artigos médicos
linha
  Perguntas & Respostas
linha
  Ponto de Vista
linha
Descobertas Científicas
linha
  Notícias da Semana
linha
  Arquivo de Notícias
linha
  Notícias Setor Saúde
linha
  Agenda de Eventos
linha
Variedades
linha
  Cartão virtual
linha
  Teste seu conhecimento
linha
  Pesquisas Online
linha
  Serviços ao Leitor
linha
sobre nós
linha
  Equipe
linha
  Colaboradores
linha
  Campanhas de saúde
linha
  Anuncie Conosco
linha
  Termo de Compromisso
linha
Desenvolvimento: Tecnoweb

Doenças e Prevenção

Tromboembolismo Venoso

Prof. Dr. Francisco H. de A. Maffei

IntroduçãoDescriçãoDiagnósticoTratamentoBibliografia

Descrição

O que é o trombo?
O que pode ocosionar a formação do trombo?
O que é a trombose venosa?
O que é a trombose venosa profunda dos membros inferiores (TVP)?
Quais são as complicações da trombose venosa profunda?
Quais são os fatores de risco para a trombose venosa profunda (TVP )?
Como as modificações genéticas podem aumentar o risco de trombose venosa profunda?
Quais as substâncias que aumentam o risco de trombose venosa profunda?
Como surge a trombose venosa nos membros inferiores?
Em que situações o paciente pode apresentar embolia pulmonar?
Quais são os sintomas da trombose venosa profunda?
O que devem fazer as pessoas que apresentam esses sintomas?
Quais são os sintomas da embolia pulmonar?

separador

O que é o trombo?

Trombo é uma massa formada por elementos do sangue no interior de um vaso e é constituído por: glóbulos vermelhos (hemácias), plaquetas e alguns glóbulos brancos (leucócitos), envolvidos por uma rede formada por uma proteína chamada fibrina.

Na realidade o trombo é um exagero localizado, de uma função fisiológica (normal) do organismo, chamada hemostasia. Ela consiste na formação, com elementos do próprio sangue, de uma "rolha" ou "tampão" para fechar lesões que possam ocorrer na parede do vaso sangüíneo.

A hemostasia acontece, em situação de emergência, quando as plaquetas, que são fragmentos de células que circulam no sangue, são atraídas e se juntam (agregam) para fechar lesões na parede vascular. Elas são depois presas numa rede de fibrina, juntamente com as hemácias e alguns leucócitos.

Normalmente, essa "rolha hemostática" fica localizada, mas se ela continua a crescer e obstrui o vaso, passa a ser o trombo. Para a formação da fibrina ocorre uma seqüência de reações químicas enzimáticas envolvendo outras proteínas que são os fatores de coagulação e que também é desencadeada pela lesão da parede dos vasos.

[sobe]

O que pode ocosionar a formação do trombo?

Três fatores são importantes para desencadear o trombo: a lesão da parede vascular, a alteração no balanço hemostático e a diminuição do fluxo sangüíneo.

Para que, o sangue não coagule continuamente, o sistema de plaquetas e fatores de coagulação é contrabalançado por um sistema de antiagregação das plaquetas e de anticoagulação. Existe um equilíbrio entre esses sistemas permitindo que nosso sangue circule normalmente. Se, entretanto, ocorrer um desequilíbrio, o sangue pode coagular dentro de um ou mais vasos, formando os trombos.

Além dos sistemas de coagulação e anti-coagulação, existe também o sistema fibrinolítico, que é uma espécie de limpador dos vasos. Terminada a função da rolha hemostática de bloquear a rotura do vaso, o sistema fibrinolítico limpa a presença ou excesso dessa rolha através da destruição da fibrina.

O movimento do sangue no interior dos vasos (fluxo sangüíneo) também é muito importante para impedir a formação de trombos, pois varre continuamente os fatores de coagulação ativados e as plaquetas, não deixando que se concentrem em um local.

[sobe]

O que é a trombose venosa?

Trombose venosa é a obstrução de veias pela formação de um trombo, ou seja, um coágulo de sangue. A trombose pode ocorrer em qualquer veia do organismo mas é mais freqüente nos membros inferiores.

As tromboses das veias do membro superior (no ombro, no ante-braço e no braço) também ocorrem com alguma freqüência e são principalmente desencadeadas por injeções dadas nas veias e por catéteres colocados nos braços dos pacientes nos hospitais.

[sobe]

O que é a trombose venosa profunda dos membros inferiores (TVP)?

A trombose venosa profunda é a obstrução das veias profundas dos membros inferiores por um trombo (coágulo de sangue). É a forma de trombose mais importante, tanto em termos de freqüência como em termos de gravidade. As veias profundas estão localizadas no meio dos músculos, junto aos ossos. Elas levam de volta ao coração a maior parte do sangue que circulou pelo membro, uma parte menor é levada pelas veias superficiais, que correm no tecido subcutâneo, logo abaixo da pele.

As veias superficiais carregam o sangue que circula nesses tecidos e servem também de circulação colateral, quando as veias profundas estão obstruídas.

[sobe]

Quais são as complicações da trombose venosa profunda?

O que mais preocupa na trombose venosa profunda são suas complicações aguda e crônica:

  • A complicação aguda, que é séria e pode ser mortal, chama-se embolia pulmonar (EP). Ocorre quando um pedaço do trombo, ou mesmo o trombo inteiro (êmbolo), se solta e vai para a circulação do pulmão. Pode causar alterações na respiração e na circulação, chegando mesmo à parada cardíaca.
  • A alteração crônica é a síndrome pós-trombótica. Acontece porque, em boa parte dos pacientes, as veias nunca mais se desobstruem ou ficam danificadas com a alteração em suas paredes e válvulas. Ela provoca uma pressão alta nas veias no terço distal da perna e no tornozelo e, algum tempo depois da trombose, pode surgir inchaço, escurecimento e endurecimento da pele e até feridas (úlceras) de difícil cicatrização.

Ao conjuntotrombose venosa profunda mais embolia pulmonaré dado o nome do tromboembolismo venoso ou tromboembolia venosa.

[sobe]

Quais são os fatores de risco para a trombose venosa profunda (TVP )?

Existem fatores tanto hereditários (genéticos), como não hereditários (adquiridos) que aumentam o risco de trombose venosa profunda, e portanto de embolia pulmonar, tanto na trombose espontânea como na desencadeada por operação, repouso, trauma, parto. etc. Esses fatores podem se associar e aumentar mais ainda o risco de trombose venosa profunda.

Outros fatores que aumentam o risco de trombose venosa profunda e de embolia pulmonar por diminuição do fluxo nas veias e/ou alterações no sangue :

  • Idade: pacientes de mais de 40 anos. Quanto mais idosos, maior o risco.
  • Trombose venosa profunda ou embolia pulmonar anteriores;
  • câncer
  • repouso prolongado;
  • tempo de duração de cirurgia;
  • anestesia geral;
  • obesidade;
  • imobilidade;
  • varizes;
  • insuficiência cardíaca.

[sobe]

Como as modificações genéticas podem aumentar o risco de trombose venosa profunda?

As modificações de origem genética (trombofilia hereditária) se dão por alteração dos fatores de coagulação ou dos anticoagulantes naturais. É importante que se tenha conhecimento se pessoas da família, principalmente parentes de 10 e 20grau tiveram trombose venosa ou embolia pulmonar.

[sobe]

Quais as substâncias que aumentam o risco de trombose venosa profunda?

Alterações adquiridas da coagulação do sangue podem ser provocadas por:

  • uso de anticoncepcionais orais,
  • uso de hormônios para reposição após a menopausa,
  • algumas medicações como as usadas para tratamento de câncer e doenças sangüíneas etc.

[sobe]

Como surge a trombose venosa nos membros inferiores?

Em cerca de 30% dos doentes com trombose venosa profunda, ela aparece espontaneamente, quando a pessoa está levando sua vida normal: andando, trabalhando etc.

Em 70% dos pacientes com trombose venosa profunda, ela se desenvolve como complicação uma operação cirúrgica, repouso por qualquer doença, parto ou gravidez e trauma. Os doentes colocados nessas circunstâncias têm diminuição do fluxo de sangue nas veias e alteração do sistema hemostático. Por isso, medidas profiláticas devem ser tomadas em pacientes com maior risco de trombose venosa profunda, se colocados nessas condições. Os médicos/as, enfermeiros/as, parentes dos pacientes e os próprios pacientes devem também estar atentos para o aparecimento de sintomas da doença.

[sobe]

Em que situações o paciente pode apresentar embolia pulmonar?

A embolia pulmonar pode aparecer em pacientes em sua vida normal, porém é um fato muito raro. O mais freqüente é surgir em pacientes que têm sintomas de trombose venosa profunda ou não os apresentam, mas que estão em situação de risco (pós-operatório, trauma etc). Nessas circunstâncias, todos os sintomas que possam sugerir embolia pulmonar devem ser levados ao conhecimento do médico assistente do doente, pelo próprio doente ou por seus familiares.

[sobe]

Quais são os sintomas da trombose venosa profunda?

A trombose venosa profunda produz sintomas agudos que podem incomodar o paciente, dependendo da localização e da extensão do trombo. Devido à boa circulação colateral das veias profundas, sua oclusão não põe em risco, na maioria das vezes, o membro, sendo portanto raríssima a sua perda por trombose venosa, e mesmo assim em casos não tratados ou tardiamente tratados.

Os principais sintomas da trombose venosa profunda são dor e edema (inchaço), que podem aparecer ao mesmo tempo ou iniciar apenas com um deles.

A dor, em geral, começa sem causa aparente nos músculos da panturrilha (barriga da perna) e aumenta com a movimentação. Pode aparecer entretanto em todo o membro inferior, acompanhando o edema.

O edema pode se iniciar só na perna e no pé ou pode aparecer em todo o membro ou subir a perna e atingir a coxa. O edema localizado em um só membro e com início agudo tem grande chance de ser devido à trombose venosa.

Às vezes, existe alteração de cor no membro, que pode ser uma discreta vermelhidão ou arroxeamento, principalmente quando a perna fica pendente e nos casos mais graves.

[sobe]

O que devem fazer as pessoas que apresentam esses sintomas?

As pessoas que apresentarem esses sintomas na vida normal têm de procurar o médico, que deve ouvir a queixa do paciente e examinar o membro para encaminhar para confirmação do diagnóstico, se achar necessário.

O paciente não deve se contentar apenas com a receita de um anti-inflamatório sem que seu membro seja examinado pelo médico. Esse fato, às vezes, acontece, com risco dos sintomas serem de trombose venosa profunda, e a doença poder piorar ou se complicar.

Se o paciente foi operado, teve um parto ou está em repouso por qualquer doença, ao perceber esses sintomas, deve comunicar ao médico para que o examine cuidadosamente e tome providências necessárias, se suspeitar da doença. Os médicos devem também observar os membros inferiores dos doentes, com freqüência, para diagnosticar a trombose venosa profunda o mais precocemente possível.

[sobe]

Quais são os sintomas da embolia pulmonar?

Os sintomas mais comuns são falta de ar súbita, que pode durar apenas alguns minutos ou permanecer (o paciente fica ofegante). Mais raramente podem surgir dor no peito ou nas costas, que piora com a respiração, e escarro com sangue. Esses sintomas podem aparecer em qualquer doença pulmonar, como a pneumonia, que também pode ocorrer no pós-operatório. O médico deve ser avisado para, se tiver suspeita de embolia pulmonar, encaminhar o paciente para exames auxilares, essenciais para confirmar o diagnóstico.

Nos casos mais graves, em que grandes êmbolos vão para o pulmão, obstruindo o retorno de sangue para o coração, o paciente pode apresentar palpitações, queda de pressão arterial, desmaios, chegando até a parada do cardíaca. O médico deve ser chamado com urgência para tentar tirar o paciente desse estado tão grave.

[sobe] [topo]

[Introdução] [Descrição] [Diagnóstico] [Tratamento] [Bibliografia]


Enviar a um amigo



[voltar] [topo]

Atenção: As informações contidas neste site têm caráter informativo e não devem ser utilizadas para realizar auto-diagnóstico, auto-tratamento ou auto-medicação. Em caso de dúvidas, consulte o seu médico.

Proibida a reprodução, distribuição ou publicação, parcial ou total, do conteúdo deste site estando o infrator sujeito às sanções legais cabíveis.


Outros artigos
bullet Alzheimer
bullet Aneurismas arteriais periféricos
bullet Aneurisma da Aorta
bullet Anorexia Nervosa
bullet Ansiedade
bullet Artrite Crônica Juvenil
bullet Artrite Reumatóide Juvenil
bullet Aterosclerose
bullet Autismo
bullet Bulimia Nervosa
bullet Catapora
bullet Colesterol Alto
bullet Depressão Infantil
bullet Distúrbios de Ansiedade
bullet Doenças da Coluna
bullet Doença de Parkinson
bullet Doença de Chagas Congenita
bullet Doenças Varicosas
bullet Embolia Arterial Aguda
bullet Epilepsia
bullet Esclerodermia
bullet Esclerose Sistêmica
bullet Espondilite Anquilosante
bullet Fadiga
bullet Fadiga Crônica
bullet Febre Amarela
bullet Febre Reumática
bullet Hepatite A - Vacina
bullet Hiperidrose
bullet Hipertensão Arterial
bullet HTLV-I
bullet Influenza A (H1N1)
bullet Meningite Neonatal
bullet Obesidade
bullet Pé Diabético
bullet Pressão Alta
bullet SAF
bullet Sedentarismo
bullet Síndrome do Anticorpo Antifosfolipídeo
bullet Síndrome de Hughes
bullet Síndrome de Reiter
bullet Telangiectasias
bullet Transpiração Excessiva
bullet Tromboembolismo Venoso
bullet Trombose Venosa Profunda
bullet Úlceras de Perna
bullet Vacinações
bullet Varicela
bullet Varizes
bullet Vasinhos
bullet Veias Varicosas
Home Saúde no dia-a-dia: Doenças e Prevenção: Pesquisas Científicas: Variedades: Sobre nós:
Contato Alimentação Saudável Artigos Médicos Notícias da Semana Cartão virtual Anuncie Conosco
Newsletter Atividade Física Perguntas e Respostas Arquivo de Notícias Pesquisas Online Equipe
Diretório de Saúde Saúde da Família Ponto de Vista Notícias - Setor de Saúde Testes e Curiosidades Colaboradores
Medicamentos Genéricos Vitaminas e Sais Minerais Comunidades Virtuais Agenda Serviços ao Leitor Termo de Compromisso
Dicionário Médico Fitoterápicos
Mapa do site
Desenvolvimento:Tecnoweb - Tel: (0xx21)2523-9108
Todos os direitos Reservados. 2000 - 2014 ®
Pesquisar
Inicio Newsletter Contato
Ecard Recomendar Twitter