Emedix - Portal de saúde com informações sobre doenças, prevenção, tratamento, saúde no dia a dia, nutrição e qualidade de vida.
Imagens
Diretório de Saúde Dicionário Médico Medicamentos Genéricos Comunidades Virtuais
Saúde no dia-a-dia
linha
  Alimentação Saudável
linha
  Atividade Física
linha
  Saúde da Família
linha
  Vitaminas/Sais Minerais
linha
  Fitoterápicos
linha
Doenças e Prevenção
linha
  Artigos médicos
linha
  Perguntas & Respostas
linha
  Ponto de Vista
linha
Descobertas Científicas
linha
  Notícias da Semana
linha
  Arquivo de Notícias
linha
  Notícias Setor Saúde
linha
  Agenda de Eventos
linha
Variedades
linha
  Cartão virtual
linha
  Teste seu conhecimento
linha
  Pesquisas Online
linha
  Serviços ao Leitor
linha
sobre nós
linha
  Equipe
linha
  Colaboradores
linha
  Campanhas de saúde
linha
  Anuncie Conosco
linha
  Termo de Compromisso
linha
Desenvolvimento: Tecnoweb

Doenças e Prevenção

Hipertensão Arterial

Dr. Celso Ferreira

IntroduçãoDescriçãoDiagnósticoTratamentoBibliografia

Diagnóstico

Como diagnosticar a Hipertensão Arterial?
Como avaliar os efeitos da hipertensão arterial nos órgãos?

separador

Como diagnosticar a Hipertensão Arterial?

A hipertensão arterial primária é diagnosticada, freqüentemente, em um consulta médica casual já que em geral ela é assintomática, salvo as situações em que existam complicações.

O diagnóstico deve ser feito aliando-se ao histórico do paciente, os resultados do exame físico e o valor pressórico tomado com técnica precisa.

Uma leitura de 140/90 mm Hg ou mais é considerada alta, mas o diagnóstico não pode ser baseado em apenas um registro. A medição deve ser feita novamente ao menos em outros dois dias diferentes, para ter certeza que a pressão alta persiste.

A detecção de valores eventualmente elevados pode ser decorrente de tensão emocional, como acontece na "hipertensão do avental branco", fato que pode ocorrer reiteradamente em consultórios.

Medir a pressão arterial fora do consultório médico pode ser um recurso valioso. O paciente pode avaliar a pressão arterial no próprio domicílio, com aparelho e pessoa aptos para tanto. Os valores considerados normais são inferiores aos padronizados para os consultórios. No período diurno, não devem ser superiores a 135 x 85 mm Hg e à noite, não devem ultrapassar 120 x 75 mm Hg.

[sobe]

Como avaliar os efeitos da hipertensão arterial nos órgãos?

Após o diagnóstico da pressão alta, avaliam-se as suas conseqüências nos órgãos, principalmente vasos sangüíneos, coração e rins.

A retina é o único lugar onde o médico pode visualizar diretamente os efeitos da pressão alta nas arteríolas, similares às mudanças nos vasos sangüíneos em outros órgãos, por exemplo, os rins. Usando um oftalmoscópio (instrumento que permite ter uma visão de dentro do olho), o médico pode determinar o grau dos danos na retina (retinopatia) e classificar a severidade da pressão alta.

Mudanças no coração, particularmente seu aumento devido ao esforço adicional necessário para bombear o sangue a uma pressão mais elevada, podem ser reveladas por meio da eletrocardiografia e raio X do tórax. Nos estágios iniciais, tais mudanças são melhor detectadas por meio de uma ecocardiografia (um teste que usa ultra-som para criar uma imagem do coração). Um som anormal do coração que pode ser ouvido com um estetoscópio, chamado de quarto som do coração, é uma das primeiras modificações causadas pela pressão alta.

Indicações precoces de danos nos rins podem ser detectados examinando a urina do paciente. A presença de células sangüíneas e albumina (um tipo de proteína) na urina, por exemplo, pode indicar tais danos.

[Introdução] [Descrição] [Diagnóstico] [Tratamento] [Bibliografia]


Enviar a um amigo



[voltar] [topo]

Atenção: As informações contidas neste site têm caráter informativo e não devem ser utilizadas para realizar auto-diagnóstico, auto-tratamento ou auto-medicação. Em caso de dúvidas, consulte o seu médico.

Proibida a reprodução, distribuição ou publicação, parcial ou total, do conteúdo deste site estando o infrator sujeito às sanções legais cabíveis.


Outros artigos
bullet Alzheimer
bullet Aneurismas arteriais periféricos
bullet Aneurisma da Aorta
bullet Anorexia Nervosa
bullet Ansiedade
bullet Artrite Crônica Juvenil
bullet Artrite Reumatóide Juvenil
bullet Aterosclerose
bullet Autismo
bullet Bulimia Nervosa
bullet Catapora
bullet Colesterol Alto
bullet Depressão Infantil
bullet Distúrbios de Ansiedade
bullet Doenças da Coluna
bullet Doença de Parkinson
bullet Doença de Chagas Congenita
bullet Doenças Varicosas
bullet Embolia Arterial Aguda
bullet Epilepsia
bullet Esclerodermia
bullet Esclerose Sistêmica
bullet Espondilite Anquilosante
bullet Fadiga
bullet Fadiga Crônica
bullet Febre Amarela
bullet Febre Reumática
bullet Hepatite A - Vacina
bullet Hiperidrose
bullet Hipertensão Arterial
bullet HTLV-I
bullet Influenza A (H1N1)
bullet Meningite Neonatal
bullet Obesidade
bullet Pé Diabético
bullet Pressão Alta
bullet SAF
bullet Sedentarismo
bullet Síndrome do Anticorpo Antifosfolipídeo
bullet Síndrome de Hughes
bullet Síndrome de Reiter
bullet Telangiectasias
bullet Transpiração Excessiva
bullet Tromboembolismo Venoso
bullet Trombose Venosa Profunda
bullet Úlceras de Perna
bullet Vacinações
bullet Varicela
bullet Varizes
bullet Vasinhos
bullet Veias Varicosas
Home Saúde no dia-a-dia: Doenças e Prevenção: Pesquisas Científicas: Variedades: Sobre nós:
Contato Alimentação Saudável Artigos Médicos Notícias da Semana Cartão virtual Anuncie Conosco
Newsletter Atividade Física Perguntas e Respostas Arquivo de Notícias Pesquisas Online Equipe
Diretório de Saúde Saúde da Família Ponto de Vista Notícias - Setor de Saúde Testes e Curiosidades Colaboradores
Medicamentos Genéricos Vitaminas e Sais Minerais Comunidades Virtuais Agenda Serviços ao Leitor Termo de Compromisso
Dicionário Médico Fitoterápicos
Mapa do site
Desenvolvimento:Tecnoweb - Tel: (0xx21)2523-9108
Todos os direitos Reservados. 2000 - 2014 ®
Pesquisar
Inicio Newsletter Contato
Ecard Recomendar Twitter