Emedix - Portal de saúde com informações sobre doenças, prevenção, tratamento, saúde no dia a dia, nutrição e qualidade de vida.
Imagens
Diretório de Saúde Dicionário Médico Medicamentos Genéricos Comunidades Virtuais
Saúde no dia-a-dia
linha
  Alimentação Saudável
linha
  Atividade Física
linha
  Saúde da Família
linha
  Vitaminas/Sais Minerais
linha
  Fitoterápicos
linha
Doenças e Prevenção
linha
  Artigos médicos
linha
  Perguntas & Respostas
linha
  Ponto de Vista
linha
Descobertas Científicas
linha
  Notícias da Semana
linha
  Arquivo de Notícias
linha
  Notícias Setor Saúde
linha
  Agenda de Eventos
linha
Variedades
linha
  Cartão virtual
linha
  Teste seu conhecimento
linha
  Pesquisas Online
linha
  Serviços ao Leitor
linha
sobre nós
linha
  Equipe
linha
  Colaboradores
linha
  Campanhas de saúde
linha
  Anuncie Conosco
linha
  Termo de Compromisso
linha
Desenvolvimento: Tecnoweb

Doenças e Prevenção

Psiquiatria da Infância e da Adolescência

Prof. Dr. Francisco B. Assumpção Jr.

Pensar Psiquiatria da Infância e da Adolescência significa pensar em um ser em desenvolvimento, com os fatores pessoais constituindo em um dos lados de um triângulo, cujo outro lado é constituído por fatores sócio-familiares. Da confluência dos dois, constrói-se uma base, representada pelo projeto terapêutico que tem por finalidade não somente a remissão do quadro diagnosticado, mas também a recuperação do processo de desenvolvimento desse ser, para que se reinsira em seu ambiente gradativamente e cresça de maneira a se tornar um adulto saudável e integrado.

Quando foi criada a Psiquiatria da Infância e da Adolescência?

Existe uma política de saúde para a Psiquiatria da Infância e da Adolescência no Brasil?

Qual a importância da Saúde Mental da população infantil?

Quais são as características e doenças psiquiátricas da criança no primeiro ano de vida?

Como é o desenvolvimento mental da criança na fase pré-escolar?

Quais são as patologias na idade pré-escolar?

Como é a evolução da criança na idade escolar?

Como detectar as patologias psiquiátricas na idade escolar?

Quais as patologias psiquiátricas na adolescência?

Como diagnosticar e tratar as doenças mentais na criança e no adolescente?

Quando foi criada a Psiquiatria da Infância e da Adolescência?

A Psiquiatria da Infância e da Adolescência é uma especialidade bastante recente, tendo se firmado, a nível mundial, em 1938, quando foi instalada sua primeira cátedra na Universidade de Paris, dirigida pelo Prof. G. Heuyer.

[sobe]

Existe uma política de saúde para a Psiquiatria da Infância e da Adolescência no Brasil?

No Brasil, apesar dos esforços pioneiros de diferentes pessoas, a Psiquiatria da Infância e da Adolescência ainda se apresenta de maneira incipiente, o que ocasiona imensas dificuldades no atendimento à criança portadora de quadros psiquiátricos.

Em uma primeira consideração, problemas psiquiátricos parecem ser de pouca importância para a população infantil. Provavelmente, essa é uma das razões que faz com que não tenhamos, em nosso país, uma política definida de Saúde Mental Infantil o que provoca um círculo vicioso: os problemas infantis não são diagnosticados e, quando o são, as dificuldades para o seu tratamento são imensas.

Paralelamente, o descaso e a ausência de interesse por parte da sociedade faz com que poucos profissionais se interessem pela área, dificultando mais ainda esse atendimento.

Enquanto os Estados Unidos contam com cerca de 6.000 profissionais ligados à Psiquiatria da Infância e da Adolescência, número considerado insatisfatório, nós contamos com menos de 200, concentrados, em sua maior parte, nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

[sobe]

Qual a importância da Saúde Mental da população infantil?

No Brasil, a freqüência dos quadros dos distúrbios mentais mais importantes pode ser considera alta.

Assim, imaginamos (uma vez que as estatísticas específicas são inexistentes em nosso país), a partir de dados colhidos em outros locais, números da ordem de 5% para Retardo Mental, 5% para Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade, 4% de Depressão em adolescentes, 4:10.000 para quadros autísticos, e assim sucessivamente. Podemos dizer que, ao menos teoricamente, a Saúde Mental da população Infantil deveria ser uma prioridade uma vez que implica em perdas escolares, problemas de adaptação e de conduta que se refletirão no desenvolvimento de sua personalidade, ocasionando danos futuros a esse ser quando adulto e à sociedade na qual ele se inserirá.

Pensar na criança em seu desenvolvimento significa pensar no adulto futuro em seu processo adaptativo e social.

[sobe]

Quais são as características e doenças psiquiátricas da criança no primeiro ano de vida?

Ao nascer, a criança apresenta reflexos característicos à própria espécie, que lhe permitem sobreviver e, gradativamente reagir aos estímulos ambientais, construindo pouco a pouco o psiquismo infantil.

No primeiro ano de vida, ela passa de um ser eminentemente reflexo para um ser que estabelece esquemas de causalidade (um fato ocasiona uma conseqüência), de persistência de objeto (um objeto continua existindo mesmo com seu desaparecimento do campo visual) e outros. Dessa maneira, passa de um ser indiferenciado para alguém com gradativa consciência de si mesmo (inicialmente a partir da noção de corporeidade), que se relaciona socialmente primeiramente com a própria mãe (socialização elementar), para posteriormente se relacionar com a família e com a própria sociedade (fato esse que ocorrerá bem mais tarde, lá pelo segundo ou terceiro ano de vida).

Nesse momento, as patologias psiquiátricas infantis refletem duas possibilidades. Ou lesões que afetam diretamente o Sistema Nervoso Central, ocasionando patologias graves, como Retardo Mental ou quadros autísticos, ou reações ao próprio ambiente, como por exemplo os quadros de hospitalismo em que a criança, na ausência da mãe, retrai-se e isola-se, desinteressando-se por tudo que a cerca.

[sobe]

Como é o desenvolvimento mental da criança na fase pré-escolar?

Por volta dos dois anos de idade, a criança adquire a capacidade de utilização de símbolos que permite, por exemplo, a resolução de problemas em ausência concreta dele, ou seja, a criança começa a desenvolver mentalmente os passos necessários para a solução da questão proposta.

Paralelamente, desenvolvem-se também os processos de memória, que nessa fase não mais necessitam de estímulos externos e podem ser acessados voluntariamente pela criança, de pensamento e de linguagem oral, inserindo-a de forma mais adequada no contexto social que lhe rodeia.

Nesta fase, a criança inicia a construção de sua identidade sexual bem como do papel sexual a ela implícita, de padrões morais copiados do próprio adulto. Adquire também a capacidade de organizar jogos simbólicos que lhe permitem brincar com outras pessoas e de começar a representar graficamente seu próprio mundo a partir daquilo que sabe sobre ele.

[sobe]

Quais são as patologias na idade pré-escolar?

Nesse momento, algumas patologias podem ser bem identificadas, como os quadros depressivos que, no pré-escolar, tem uma prevalência de cerca de 0,9%, quadros ansiosos como a ansiedade de separação.

Os transtornos de déficit de atenção e hiperatividade que, mesmo sendo mais facilmente visualizados na etapa posterior de desenvolvimento já podem estar presentes aqui.

Quadros graves, como autismo e retardo mental, mesmo aparecendo já na etapa anterior, são mais facilmente identificados neste período pois já se espera da criança maior desempenho e sociabilidade.

[sobe]

Como é a evolução da criança na idade escolar?

Aos sete anos, o padrão de pensamento da criança altera-se. Ela passa a utilizar hipóteses que lhe permite avaliar melhor o seu mundo, checando-o e assim, construindo-o de forma mais próxima à realidade.

Inicia-se, então, a construção de uma moral autônoma, a partir do questionamento do mundo adulto, representado por pais e professores e pela relação com outras crianças.

Estabelecem-se regras definidas e fixas, que também se estruturam nos jogos, que servirão de base para os relacionamentos sociais. Esses jogos começarão a se manifestar enquanto jogos de construção nos quais a criança, ao brincar, desenvolve e estimula a própria criatividade dentro de um contexto de realidade mais exato. A mesma característica pode ser observada também no desenho, que passa a representar de maneira cada vez mais exata a própria realidade, prendendo-se em aspectos formais.

Categorias físicas como espaço, tempo, peso, massa, formas, volume, são cada vez mais estruturadas, permitindo-lhe uma visão de mundo bastante precisa e concreta.

[sobe]

Como detectar as patologias psiquiátricas na idade escolar?

A partir dos sete anos, as patologias são detectadas principalmente em função do rendimento escolar com os transtornos de aprendizado, acompanhados pelos transtornos de déficit de atenção e hiperatividade (com prevalência ao redor de 2% nessa faixa etária), pelos retardos mentais (percebidos com freqüência nesse momento em função da não correspondência aos programas educacionais) e pelos demais quadros psiquiátricos como depressões, manias, quadros ansiosos como pânico, transtornos obsessivos e tantos outros passíveis de cuidados e acompanhamento.

[sobe]

Quais as patologias psiquiátricas na adolescência?

A entrada na adolescência traz mudanças significativas no processo de pensamento desse ser.

Ele passa a se valer de pensamento abstrato que lhe proporciona a possibilidade de estabelecer hipóteses sobre fatos imaginários, o que lhe permite avaliar e escolher possibilidades. Assim surge sua crise decorrente da sua liberdade e da responsabilidade. Com ela e a estruturação do psiquismo, significados passam a ser estabelecidos e as patologias psiquiátricas tomam uma forma mais semelhante àquela do adulto, com o aparecimento dos quadros delirantes e alucinatórios, depressões e tentativas de suicídio, quadros delinqüenciais e tantas outras patologias de importância fundamental.

[sobe]

Como diagnosticar e tratar as doenças mentais na criança e no adolescente?

Um diagnóstico, para ser estabelecido, depende de conhecimento do próprio desenvolvimento da criança, bem como de uma abordagem especializada e multidimensional o que, em nosso meio carente e pouco interessado, é de extrema dificuldade.

Além de uma abordagem psicofarmacológica, hoje de extrema importância no tratamento das doenças mentais da infância e da adolescência, necessita-se também de abordagens psicoterápicas, uma vez que a criança enquanto ser em evolução, está em processo de desenvolvimento e, com o aparecimento dos quadros de distúrbios mentais, constrói sua identidade de maneira deficitária.

Nesse contexto, o suporte familiar é indispensável, uma vez que essa família será o fator de contenção afetiva necessário para que a terapêutica se mostre eficaz.


Enviar a um amigo



[voltar] [topo]

Atenção: As informações contidas neste site têm caráter informativo e não devem ser utilizadas para realizar auto-diagnóstico, auto-tratamento ou auto-medicação. Em caso de dúvidas, consulte o seu médico.

Proibida a reprodução, distribuição ou publicação, parcial ou total, do conteúdo deste site estando o infrator sujeito às sanções legais cabíveis.


Outros artigos
bullet Alzheimer
bullet Aneurismas arteriais periféricos
bullet Aneurisma da Aorta
bullet Anorexia Nervosa
bullet Ansiedade
bullet Artrite Crônica Juvenil
bullet Artrite Reumatóide Juvenil
bullet Aterosclerose
bullet Autismo
bullet Bulimia Nervosa
bullet Catapora
bullet Colesterol Alto
bullet Depressão Infantil
bullet Distúrbios de Ansiedade
bullet Doenças da Coluna
bullet Doença de Parkinson
bullet Doença de Chagas Congenita
bullet Doenças Varicosas
bullet Embolia Arterial Aguda
bullet Epilepsia
bullet Esclerodermia
bullet Esclerose Sistêmica
bullet Espondilite Anquilosante
bullet Fadiga
bullet Fadiga Crônica
bullet Febre Amarela
bullet Febre Reumática
bullet Hepatite A - Vacina
bullet Hiperidrose
bullet Hipertensão Arterial
bullet HTLV-I
bullet Influenza A (H1N1)
bullet Meningite Neonatal
bullet Obesidade
bullet Pé Diabético
bullet Pressão Alta
bullet SAF
bullet Sedentarismo
bullet Síndrome do Anticorpo Antifosfolipídeo
bullet Síndrome de Hughes
bullet Síndrome de Reiter
bullet Telangiectasias
bullet Transpiração Excessiva
bullet Tromboembolismo Venoso
bullet Trombose Venosa Profunda
bullet Úlceras de Perna
bullet Vacinações
bullet Varicela
bullet Varizes
bullet Vasinhos
bullet Veias Varicosas
Home Saúde no dia-a-dia: Doenças e Prevenção: Pesquisas Científicas: Variedades: Sobre nós:
Contato Alimentação Saudável Artigos Médicos Notícias da Semana Cartão virtual Anuncie Conosco
Newsletter Atividade Física Perguntas e Respostas Arquivo de Notícias Pesquisas Online Equipe
Diretório de Saúde Saúde da Família Ponto de Vista Notícias - Setor de Saúde Testes e Curiosidades Colaboradores
Medicamentos Genéricos Vitaminas e Sais Minerais Comunidades Virtuais Agenda Serviços ao Leitor Termo de Compromisso
Dicionário Médico Fitoterápicos
Mapa do site
Desenvolvimento:Tecnoweb - Tel: (0xx21)2523-9108
Todos os direitos Reservados. 2000 - 2014 ®
Pesquisar
Inicio Newsletter Contato
Ecard Recomendar Twitter